domingo, 22 de fevereiro de 2015

VENCEDORES OSCAR 2015

Birdman vence o Oscar de melhor filme e melhor direção e, ao lado de O Grande Hotel Budapeste, Whiplash e outros filmes, destaca as produções independentes do cinema mundial.



Se você perdeu a cerimônia do 87º Oscar e ficou na vontade de assistir aos espetáculos de música e aos discursos na íntegra, confira toda a cerimônia abaixo!



O anfitrião da noite, Neil Patrick Harris, começou a cerimônia com a habitual apresentação musical onde falou sobre a beleza estética da cerimônia dos Prêmios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, o Oscar. O apresentador também cantou sobre alguns filmes e suas estrelas, sempre com muito humor e diversão. Logo, Anna Kendrick, estrela do musical Caminhos da Floresta, juntou-se a Harris. Jack Black foi o próximo a subir ao palco para cantar (ou berrar) um pouco. Por fim, Neil apresentou, de forma inteligente, os principais indicados da noite. A apresentação deixou de lado a exuberância e abriu caminho para algo mais simples e sutil. O ator, estrela da série How I Met Your Mother, que terminou este ano, mostrou-se um excelente apresentador durante todo o show. O que incluiu, pouco antes do término do show, a apresentações de suas predições para a cerimônia do Oscar: pronúncias erradas de alguns nomes, a vitória de Ida como melhor filme estrangeiro, piadas com Meryl Streep, a vitória de Emmanuel Lubezki, mais um arrependimento de John Travolta, as vitórias de John Legend e Common, e que Eddie Redmayne e Julliane Moore falariam “oh” o tempo todo, satirizando os atores e atrizes que se emocionam ao vencer o prêmio e ficam sem palavras.
Após J. K. Simmons agradecer seu prêmio de melhor ator coadjuvante por Whiplash, Liam Neeson apresentou um dos indicados da noite, o longa Sniper Americano, e Adam Levine, vocalista da Maron 5, entoou a música “Lost Stars”, do filme Mesmo se nada der Certo. Durante toda a cerimônia, as outras canções indicadas tiveram suas chances. A interpretação mais animada foi da música Everything if Awesome, da animação Uma Aventura LEGO, música que lembra muito jogos de vídeo game infantil. A terceira apresentação foi de Glen Campbell, com a canção I’m Not Gona Miss You, do filme Glen Campbell... I’ll Be Me. Sozinho no palco e sentado em um banco, o compositor e cantor fez uma bela apresentação. Durante a cerimônia, Rita Ora apresentou a canção Grateful, do filme Além das Luzes. Com voz poderosa, a cantora tomou o palco e fez uma bela apresentação. Por último, foi a vez de John Legend tomar o palco com a canção Glory, do filme Selma. Legend cantou e tocou piano e dividiu o palco com o rapper Common. Glory venceu o prêmio e Legend lembrou das lutas por igualdade e alertou quanto aos riscos que as conquistas de Martin Luther King ainda correm.


Viola Davis apresentou os homenageados pela carreira: a atriz irlandesa Maureen O’hara, o cineasta japonês Hayao Miyazaki, o roteirista francês Jean-Claude Carrière e o ator Harry Belafonte, que recebu o prêmio humanitário Jean Hersholt. A Academia também lembrou os vencedores pelos prêmios técnicos entregues há uma semana em uma cerimônia mais tímida. Esperada, Patricia Arquette subiu ao palco para agradecer o prêmio de melhor atriz coadjuvante, pelo filme Boyhood. A atriz agradeceu à Academia, à “família de Boyhood”, às concorrentes e finalizou o discurso defendendo as mulheres e exigindo igualdade nos salários e nos tratos. Arquette foi aplaudida e apoia por suas concorrentes, incluindo uma Meryl Streep eufórica e muito satisfeita com as palavras da colega. Foi a veterana quem apresentou a homenagem aos destaques que deixaram nosso plano durante o ano de 2014. Na sequência, a atriz e cantora, vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante, Jennifer Hudson, roubou a cena permanecendo sozinha no placo enquanto cantava Can't Let Go.
Após 10 indicações de melhor filme estrangeiro, a Polônia finalmente recebeu seu primeiro Oscar, pelo filme Ida. Na sequência, a diretora da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas lembrou das responsabilidades de se trabalhar no cinema e da importância de se valorizar a sérima arte. Segundo ela, no Oscar, se celabra o amor pelo cinema e a coragem em se fazer filmes. Scalatte Johansson apresentou a homenagem ao filme  A Noviça Rebelde. Para continuar com a homagem, ninguem mais ninguem menos que a cantora Lady Gaga entou a música The Sound of Music, tema do longa. Gaga, mais convencional que nunca, chegou a arrepiar com sua perfomance e, não contente, imendou My Favorite Things, Edelweiss e Climb Ev'ry Mountain ao número. Como merecido, a atriz foi aplaudida em pé por uma plateia emocionada. No palco, surgiu, ainda, uma muito orgulhosa Julie Andrews, que parabenizou Gaga e agradeceu pela homenagem antes de anunciar Alexander Desplat como vencedor na categoria de melhor trilha sonora, por O Grande Hotel Budapeste.


Alejandro González Iñárritu surpreendeu ao vencer o prêmio de melhor direção por Birdman. É o segundo ano consecutivo que um mexicano sobe ao palco do Oscar para agradecer pelo prêmio na categoria, no ano passado, Alfonso Cuarón levou o prêmio pelo filme Gravidade. Iñárritu agradeceu ao conterrâneo e a Guilermo Del Toro, também mexicano, dizendo que ambos fazem parte de todo o reconhecimento. Eddie Redmayne, soberbo em sua interpretação do gênio Stephen Halking, levou o Oscar pelo trabalho em A Teoria de Tudo. O ator falou emocionado sobre a surpresa de vencer o Oscar, sobre a experiência de interpretar o gênio e dedicou o prêmio a todos os portadores de esclerose lateral amiotrófica. Julianne Moore subiu ao palco para receber o prêmio de melhor atriz, fez piada com sua idade e do marido – mais jovem que ela -, agradeceu aos colegas, à família, aos diretores e se mostrou emocionada após 24 anos de carreira e em sua quinta indicação ao Oscar. A atriz também teve seu momento para falar sobre as diferenças lembrando da importância de se dar importância a pessoas com Alzheimer.
Sean Pean anunciou o vencedor de melhor filme do ano. Segundo ele, no final das contas o que vale mesmo são os filmes. Não interessa quanto eles custaram ou quanto faturaram nas bilheterias. O que vale é o poder de contar histórias e o poder de suas ideias. Os produtores e a equipe de Birdman se juntaram a Sean Pean para agradecer o prêmio de forma bem humorada e espontânea. Este ano, talvez seja um dos anos mais interessantes do Oscar: das 21 categorias para longas, 16 delas – incluindo direção, filme, roteiro, atriz e atriz coadjuvante - foram conquistadas pelos filmes Birdman (4), O Grande Hotel Budapeste (4), Whiplash (3), Boyhood (1), Selma (1), Para Sempre Alice (1), Ida (1) e CitizenFour (1), todos Independentes. Tal fato mostra como a Academia está começando a abrir possibilidades para esse tipo de filme. Espera-se que, apartir de agora, a Academia continue reconhecendo esses trabalhos mesmo quando as grandes produções de Hollywood não sejam decepcionantes como em 2014. Em um ano onde vários agradecimentos incluíram a importância de se eliminar o preconceito e aceitar todos como são, nada mais justo e significativo que filmes independentes invadirem despretenciosamente a festa mais egocêntrica e narcisista de Hollywood.
Abaixo, confira os vencedores do 87º Oscar e Em breve, análises dos principais indicados ao Oscar serão publicadas no blog. Fique ligado!


VENCEDORES DOS PRÊMIOS DA ACADEMIA DE ARTES E CIÊNCIAS CINEMATOGRÁFICAS

Melhor Filme: Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
 Melhor Direção: Alejandro G. Iñárritu, por Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Melhor Ator: Eddie Redmayne, por A Teoria de Tudo
Melhor Atriz: Julianne Moore, por Para Sempre Alice
Melhor Ator Coadjuvante: J. K. Simmons, por Whiplash: Em Busca da Perfeição
Melhor Atriz Coadjuvante: Patricia Arquette, por Boyhood: Da Infância à Juventude
Melhor Roteiro Original: Alejandro G. Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris Jr. E Armando Bo, por Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Melhor Roteiro Adaptado: Graham Moore, por O Jogo da Imitação
Melhor Filme Estrangeiro: Ida (Polônia)
Melhor Filme de Animação: Big Hero 6
Melhor Documentário Longa-Metragem: CitizenFour
Melhor Trilha Sonora: Alexander Desplat, por O Grande Hotel Budapeste
Melhor Canção Original: “Glory”, de Selma, Música e Letra de John Stephens e Lonnie Lynn
Melhor Fotografia: Emmanuel Lubezki, por Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Melhor Edição: Tom Cross, , por Whiplash: Em Busca da Perfeição
Melhores Efeitos Visuais: Paul Franklin, Andrew Lockley, Ian Hunter e Scott Fisher, por, Interstelar
Melhor Edição de Som: Alan Robert Murray e Bub Asman, por Sniper Americano
 Melhor Mixagem de Som: Craig Mann, Ben Wilkns e Thomas Curley, por Whiplash: Em Busca da Perfeição
Melhor Figurino: Milena Canonero, por O Grande Hotel Budapeste
Melhor Direção de Arte Adam Stockhousen e Anna Pinnock, por O Grande Hotel Budapeste
Melhor Maquiagem e Cabelo: Frances Hannon e Mark Coulier, por O Grande Hotel Budapeste
Melhor Curta-Metragem: The Phone Call
Melhor Curta-Metragem em Animação: Feast
Melhor Documentário em Curta-Metragem: Crisis Hotline: Veterans Press 1


ACESSE NOSSA PÁGINA NO YOUTUBE:

ESPECIAL OSCAR 2015


Durante os últimos três meses, o blog acompanhou premiações de críticos, sindicatos, sociedades, associações e alianças dos Estados Unidos e alguns prêmios internacionais. Ao todo, o blog publicou os vencedores em cerca de 40 premiações. Com base nisso, abaixo, seguem duas tabelas (abra-as em uma nova guia para visualizá-las melhor). A primeira apresenta os vencedores de prêmios de críticos e prêmios internacionais nas principais categorias da premiação do Oscar: filme, direção, ator, atriz, ator coadjuvante, atriz coadjuvante, roteiro orginal e roteiro adaptado. No final da tabela, um apanhado do número de prêmios ganhos pelos filmes indicados nessas categorias. A segunda tabela, diz respeito aos prêmios entregues por sindicatos e sociedades de diretores, fotógrafos, produtores, diretores de arte, figurinistas, roteiristas, editores e profissionais do som e de efeitos especiais. A partir das tabelas e de ter assistindo alguns filmes indicados a Oscar, segue a lista de aposta dos vencedores da equipe Projeto 399 Filmes. Em breve, análises dos principais indicados ao Oscar 2015 serão postadas na página do blog! Fique ligado!
E hoje, 22 de fevereiro, confira a cobertura do OSCAR 2015 na página do blog no Facebook!

Melhor Filme: Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Melhor Direção: Richard Linklater, por Boyhood: Da Infância à Juventude
Melhor Ator: Michael Keaton, por Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Melhor Atriz: Julliane Moore, por Para Sempre Alice
Melhor Ator Coadjuvante: J. K. Simmons, por Whiplash: Em Busca da Perfeição
Melhor Atriz Coadjuvante: Patricia Arquette, por Boyhood: Da Infância à Juventude
Melhor Roteiro Original: Wes Anderson, por O Grande Hotel Budapeste
Melhor Roteiro Adaptado: Anthony McCarten, por A Teoria de Tudo
Melhor Filme Estrangeiro: Ida (Polônia)
Melhor Filme de Animação: Como Treinar o Seu Dragão 2
Melhor Documentário Longa-Metragem: CitizenFour
Melhor Trilha Sonora: Jóhann Johannsson, por A Teoria de Tudo
Melhor Canção Original: “Glory”, de Selma, Música e Letra de John Stephens e Lonnie Lynn
Melhor Fotografia: Emmanuel Lubezki, por Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Melhor Edição: Sandra Adair, por Boyhood: Da Infância à Juventude
Melhores Efeitos Visuais: Paul Franklin, Andrew Lockley, Ian Hunter e Scott Fisher, por, Interstelar
Melhor Edição de Som: Richard King, por Interstelar
Melhor Mixagem de Som: Gary A. Tizzo, Gregg Landaker e Mark Weingarten, por Interstelar
Melhor Figurino: Milena Canonero, por O Grande Hotel Budapeste
Melhor Direção de Arte Adam Stockhousen e Anna Pinnock, por O Grande Hotel Budapeste
Melhor Maquiagem e Cabelo: Frances Hannon e Mark Coulier, por O Grande Hotel Budapeste
Melhor Curta-Metragem: Boogallo and Graham
Melhor Curta-Metragem em Animação: Feast
Melhor Documentário em Curta-Metragem: Joanna



ACESSE NOSSA PÁGINA NO YOUTUBE:

VENCEDORES DOS PRÊMIOS INDEPENDENTES SPIRIT


Os Prêmios Independentes Spirit tem feito um nome como o evento de premiação independente mais reconhecido ao homenagear a excelência nos filmes independentes. É uma celebração dos pioneiros espirituosos que trazem uma visão única de cinema. Além de ser uma festa fantástica realizada em uma tenda à beira-mar na cidade de Santa Monica, a premiação que acontece todos os anos, reúne os realizadores dos filmes independentes mais notáveis do ano. Os vencedores da premiação são escolhidos por membros do Independent Film e do Independent Filmmaker Project (IFP) – o que inclui cineastas, líderes da indústria cinematográfica e cinéfilos - , que são convidados a assistir a sessões gratuitas dos filmes previamente indicados para escolherem seus favoritos. 
Além de prêmios em 11 categorias, a premiação também oferece honras especiais. Este ano, o filme que recebeu o Prêmio Robert Altman – entregue ao diretor, ao diretor de elenco e ao elenco – foi o longa Vício Inerente, de Paul Thomas Anderson. O Prêmio Destaque Especial, dado a um filme por sua singularidade e visão, a honestidade da direção e do roteiro, as atuações soberbas e realizado de forma global, foi dado ao longa Foxcatcher: Uma História que Abalou o Mundo, do diretor Bennett Miller. O incentivo de dez mil dólares,  doado através da Roger and Chaz Ebert Foundation Fellowship, foi entregue a Christina Choe. O prêmio é dado anualmente a um cineasta que esteja participando do programa Film Independent Artist Development.
Vários indicados e vencedores dos Prêmios Independentes estão indicados, também, ao Oscar, sendo, alguns deles, os favoritos do ano em várias categorias. O filme Birdman, por exemplo, de Alejandre Iñárritu, é um dos favoritos para as categorias de melhor filme, direção, ator, roteiro e fotografia no Oscar. Boyhood, de Richard Linklater, está com força nas categorias de melhor filme, direção, atriz coadjuvante e edição. J. K. Simmons é o favorito para levar o Oscar de melhor ator coadjuvante. Confira, hoje, a partir das 22:30 a cobertura completa do Oscar na página do blog no Facebook! Abaixo, os vencedores dos Prêmios Independentes!

VENCEDORES DOS PRÊMIOS INDEPENDENTES SPIRIT

Melhor Filme: Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Melhor Primeiro Filme: Dan Gilroy, por O Abutre
Melhor Diretor: Richard Linklater, Boyhood: Da Infância à Juventude
Melhor Ator: Michael Keaton, Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Melhor Atriz: Julianne Moore, Para Sempre Alice
Melhor Ator Coadjuvante: J.K. Simmons, Whiplash: Em Busca da Perfeição
Melhor Atriz Coadjuvante: Patricia Arquette, Boyhood: Da Infância à Juventude
Melhor Roteiro: Dan Gilroy, O Abutre
Melhor Filme Estrangeiro: Ida (Polônia)
Melhor Primeiro Roteiro: Justin Simien, Dear White People
Melhor Documentário: CitizenFour
Melhor Fotografia: Emmanuel Lubezki, Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Melhor Edição: Tom Cross, por Whiplash: Em Busca da Perfeição

*Partes do texto foram traduzidas e adaptadas do site oficial do Independent Spirit

ACESSE NOSSA PÁGINA NO YOUTUBE:

VENCEDORES DOS PRÊMIOS DA SOCIEDADE DE FOTÓGRAFOS AMERICANOS


A Sociedade Americana de Fotógrafos (ASC) foi fundada em Hollywood em 1919, com o duplo objetivo de promover a arte e a ciência cinematográfica e reunir cineastas afim de se trocar ideias, discutir técnicas e promover a imagem em movimento como uma forma de arte – uma missão que continua até hoje. A ASC foi a primeira organização na indústria cinematográfica a se dedicar exclusivamente a promover e honrar a realização profissional. Não é um sindicato ou uma aliança, mas uma organização educacional, cultural e profissional. A adessão é prorrogada por um convite àqueles que estão ativamente engajados como diretores de fotografia e têm mostrado notável capacidade na área.
Os 15 membros originais da ASC eram Joe August, L.D. Clawson, Arthur Edeson, William C. Foster, Eugene Gaudio, Fred Le Roy Granville, Walter L. Griffin, J.D. Jennings, Roy H. Klaffki, Victor Milner, Robert S. Newhard, Philip E. Rosen, Charles G. Rosher, Homer A. Scott and L. Guy Wilky. Hoje, a Sociedade conta com centenas de membros divididos em seis categorias: diretoria, conselho, ativos, associados e honorários. A primeira aparição documentada de credencial da ASC em títulos de um filme foi em 1920, no longa Sand, produzido por William S. Hart e fotografado por Joe August. A ASC começou a publicar boletins informativos de quatro páginas intitulado O Diretor de Fotografia Americano no mesmo ano, o que acabou se tornando uma revista mensal, publicada quase todos os meses do ano, desde 1922. A ASC também publica o Manual Americado do Diretor de Fotografia, um recurso técnico conhecido por alguns como “a bíblia do cineasta”.
Todos os anos a Sociedade faz uma premiação onde homenageia os mais notáveis trabalhos em fotografia cinematográfica do ano. A categoria de melhor fotografia em filme para cinema é, geralmente, uma prévia do que acontece na mesma categoria na premiação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, o Oscar. Acompanhe a cobertura completa do Oscar na página do blog no Facebook na noite de hoje a partir das 22:30! Abaixo, os vencedores dos Prêmios da Sociedade:

VENCEDORES DOS PRÊMIOS DA SOCIEDADE DE FOTÓGRAFOS AMERICANOS

Melhor Fotografia em Filme para Cinema: Emmaniel Lubezki, por Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Melhor Fotografia em Série de Televisão: Jonathan Freeman, por Boardwalk Empire
Melhor Fotografia em Telefilme: John Lindley, or Manhattan

Melhor Fotografia em Destaque: Peter Flickenberg, por Concrete Night

*Partes do texto foram traduzidas e adaptadas do site oficial da Sociedade de Fotógrafos Americanos

ACESSE NOSSA PÁGINA NO YOUTUBE:

sábado, 21 de fevereiro de 2015

VENCEDORES DOS PRÊMIOS DO SINDICATO DOS EDITORES DE SOM CINEMATOGRÁFICO



Fundada em 1953, o Sindicato dos Editores de Som Cinematográfico (MPSE) é uma organização dedicada a melhorar o reconhecimento de seus membros através da educação do público e do resto da comunidade cinematográfica quanto ao mérito artísitico da edição de som. Os esforços dos membros do Sindicato que trabalham dura e talentosamente e podem ser ouvidos a cada hora do dia em todo o mundo, são reconhecidos todos os anos.
Os membros do MPSE são artistas que esculpem efeitos sonoros dramáticos e inventar novos sons para mundos imaginários. Além de serem editores de efeitos, os membors também trabalham no foley – editores que editam efeitos sonoros criados especialmente para a imagem, que são tão frequentemente tidos como uma parte natural da cena, o que inclui pasos, jingles, guinchos de janela e couro, e assim por diante. -, editores de diálogo – que, meticulosamente, suavizam o som da produção -, editores ADR – que ajudam a tecer sem problemas o diálogo “dublado” posteriormente às gravações -, editores de música – que trabalham com compositores e supervisores de música a fim de detectar sinais e costurar uma tapeçaria sonora a partir da partitura original e da música pré-gravada. Os membros do Sindicato estão desde filmes para cinema e produtos audivisuaus como para televisão e vídeo game, até CD’s e DVD’s.
A missão do Sinticato é a melhoria do prestígio e reconhecimento de membros através da educação, tanto da comunidade do entretenimento, quanto do público em geral para salientar a importância e o mérito artísitico do som em um produto audiovisual; o reconhecimento contínuo e a divulgação de informações sobre os avanços técnicos na edição do som de cinema, a melhoria das relações sociais e da situação econômica e profissional dos seus membros. O Sindicato oferece bolsas de estudo para a formação contínua e progressão nas profissões da área de sonorização através do Fundo Crutcher Ethel. Todos os anos, o Sindicato homanageia os considerados melhores trabalhos sonoras com uma premiação. Abixo, confira os vencedores do ano de 2015!

VENCEDORES DOS PRÊMIOS DO SINDICATO DOS EDITORES DE SOM CINEMATOGRÁFICO

Melhor Edição de Som (Efeitos): Alan Robert Murray, Bub Asman, Jason King, Mark Larry, Roland N. Thai, Kevin R. W. Murray, Tom Ozanich, por Sniper Americano
Melhor Edição de Som (Diálogos): Becky Sullivan, MPSE, Andrew DecRistofaro, Laura Atkinson, Glynna Grimala, por Unbroken
Melhor Edição de Som em Animação: Shannon Mills, Robert Shoup, Kim Foscato, Daniel Laurie, por Big Hero 6
Melhor Edição de Som em Filme Estrangeiro (Efeitos, Diálogos, Foley): Jay Neireberg, MPSE, Jonathan Wales, Trevor Gates, Andrés Velasquez, Vicki O’Reilly Vandergriff, Angela Hemingway, Todd Niesen, Ramiro Belgardt, por The Liberator
Melhor Edição de Som (Música em Filme Musical):Jordan Corngold, Bill Bernstein, Stephanie Lowry, Richard Henderson, por Get on Up
Melhor Edição de Som (Música em Filme): Martin Hernandez, Terry Wilson e Will Kaplan, por Birdman ou (A Inexperada Virtude da Ignorância)

Melhor Edição de Som em Documentário: Kacper Habisiak, MPSE, Bartosz Putkiewicz, Marcin Kasinski, Darius Stanek, Henryk Zastrózny, Filip Krzemien, por Warsaw Uprising

*Partes do texto foram traduzidas e adaptadas do site oficial do Sindicato dos Editores de Som Cinematográfico

ACESSE NOSSA PÁGINA NO YOUTUBE:

VENCEDORES DOS PRÊMIOS DA SOCIEDADE DE ÁUDIO CINEMATOGRÁFICO


A Sociedade de Áudio Cinematográfico (CAS) é uma organização filantrópica fundada em 1964 com o objetivo de compartilhar informações com profissionais do som das indústricas do cinema e da televisão. Além disso, a Sociedade tem o dever de educar e informar o público em geral que o som de qualidade no cinema e na televisão é conseguido por uma combinação criativa, artistica e técnica de diversos elementos; fornecer às indústrias audiovisuais mestres especializados na arte criativa de captação de som; avançar no campo de especcialização de captação através da troca de ideias, de metódos e de informações; avançar a apreciação do áudio; manter altos padrões de profissinalismo entre os membros, auxiliando na seleção de profissionais realmente capacitados; e conseguir o reconhecimento merecido para os profissionais da área. A CAS realiza reuniões educacionais ao longo do ano sobre temas de interesse para as pessoas dessas indústrias.
Dentre os homenageados deste anos, estavam o três vezes vencedor do Oscar David Macmillan, com o o Prêmio pela Carreira Scott Millan, dividido com Steve Bowerman e David Krischner. Além destes, o cineasta, roteirista e produtor, Richard Linklater, destaque este ano pelo longa “Boyhood: Da Infância à Juventude”, recebeu o Prêmio Cineasta CAS, homenagem que já foi concedida a nomes como: Quentin Tarantino, Paul Mazursky, Rob Marshall, Jonathan Demme e Edward Zwick. O Prêmio de Reconhecimento para Estudantes foi entregue a Danny Maurer, estudante da Universidade do Colorado. O Prêmios de Realizações Técnicas foram entregues aos dispositivos de som Dante and MADI Audio Recorder para a produção e iZotope RX4-Advanced para pós-produção. Abaixo, confira os vencedores dos Prêmios da Sociedade, uma prévia para a categoria de melhor mixagem de som no Oscar, que terá seus vencedores revelados no domingo (22). Acompanhe a cobertura completa da cerimônia pela página do blog no Facebook!

VENCEDORES DOS PRÊMIOS DA SOCIEDADE DE ÁUDIO CINEMATOGRÁFICO

Melhor Mixagem de Som em Filme Live Action: Thomas Verga, Jon Taylor, Frank A. Montaño, Gustavo Borner, Jason Oliver e John Sanacore, por Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Melhor Mixagem de Som em Filme de Animação: Gabriel Guy, David E. Fluhr, Alan Meyerson e Mary Jo Lang, por Big Hero 6
Melhor Mixagem de Som em Telefilme ou Minissérie: John Mooney, Howard Bargroff, Nick Wollage, Peter Gleaves e William Everett, por Sherlock: His Last Vow
Melhor Mixagem de Som em Série (uma hora): Ronan Hill, Richard Dyer, Onnalee Blank, Mathew Eaters e Brett Voss, por Game of Thrones (“The Children”)
Melhor Mixagem de Som em Série (meia hora): Stephen A. Tibbo, Dean Okrand e Brian Harman, por Modern Family (“Australia”)

Melhor Mixagem de Som em Documentário, Variedades, Série Musical ou Especiais: Eddie Kim e Jeff Fuller, por Foo Fighters Sonic Highways (“Los Angeles”)

*Partes do texto foram traduzidas e adaptadas do site oficial da Sociedade de Áudio Cinematográfico

ACESSE NOSSA PÁGINA NO YOUTUBE:

Poderá gostar também de: